a

Aperiri vivendum has in. Eu fabellas deseruisse mea, hinc solum tractatos vim ad, ut quem voluptua nam. Ei graeci oblique perci.

Recent Posts

    Sorry, no posts matched your criteria.

Nutricionista em São Paulo - SP

Dieta no tratamento e prevenção da endometriose

Dieta no tratamento e prevenção da endometriose

O que é endometriose?

A endometriose é um quadro caracterizado pela presença anormal do endométrio fora da cavidade uterina, ou seja, em outros órgãos da pelve: trompas, ovários, intestinos e bexiga. O endométrio é o tecido que reveste o interior do útero. É normal que a cada ciclo, essa camada fica mais espessa para receber um óvulo fecundado. Quando não ocorre essa implantação, o endométrio descama e é expelido através da menstruação, este é um processo natural do organismo de todas as mulheres em fase reprodutiva.

Quando ocorre de um pouco desse sangue migrar no sentido oposto, ele cai nos ovários ou na cavidade abdominal, e ficará por lá, esse quadro é denominado menstruação retrógrada. As causas ainda são desconhecidas, mas é possível que mulheres que tenham casos da doença na família estejam mais suscetíveis a desenvolvê-la. Os estudos divulgados pela Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia mostram que 51% dos casos analisados possuíam a presença da doença na família.

Atualmente, essa doença chega a afetar cerca de 6 milhões de mulheres no Brasil, 30 % delas têm chances de se tornarem estéreis.

Sintomas da endometriose

Entre os sintomas, é comum que a dor seja o sintoma que leve a mulher a desconfiar que algo está errado. Os sintomas, geralmente são:

Cólicas menstruais intensas

Dores durante a relação sexual

Dores abdominais no período pré-menstrual

Sensação extrema de cansaço

Alto fluxo menstrual

Constipação e dor intestinal

Os sintomas podem incluir náuseas e vômitos durante os quadros de dores forte, sensação dolorida ao urinar e presença de nódulos.

Diagnóstico

Na presença de alguns sintomas, a mulher deve se consultar com o ginecologista. O diagnóstico costuma ser difícil ou um tanto demorado, por isso, o quanto antes procurar ajuda melhor, a fim de evitar o agravamento da doença.

Além do exame de toque vaginal, na maioria dos casos é necessário fazer uso de alguns exames específicos, como:

  • Exame pélvico: onde é investigado alterações na região, principalmente nos ovários e nas trompas.
  • Ultrassonografia transvaginal: para encontrar possíveis cistos na região pélvica.
  • Ressonância magnética: para diagnosticar casos de endometriose profunda.
  • Laparoscopia: partindo de uma pequena cavidade realizada pelo médico que torna possível analisar a estrutura do tecido da cavidade abdominal.
  • Colonoscopia: busca por alterações na parte interna do intestino.
  • Cistoscopia: utiliza-se de um endoscópio para analisar as vias urinárias.

 

Tratamento

Para a escolha do melhor tratamento, é necessário análise minuciosa do caso, que levará em conta fatores como idade, grau da doença e se há desejos da paciente em ter filhos futuramente.

Interessada sobre nutrição para gestantes? Fale com a Carol!

Dieta

Assim como em outros quadros, a dieta pode auxiliar na prevenção e tratamento da endometriose. Isso porque os alimentos estão ligados ao equilíbrio hormonal do organismo, tanto feminino quanto masculino. Ofertar uma quantidade e qualidade de nutrientes adequadas pode alterar positivamente, assim como a alimentação pobre em nutrientes pode trazer desfavores ao processo saúde-doença.

A alimentação para prevenção de endometriose deve ser rica em fibras, vitamina C e ômega 3.

 

O que devo consumir?

As fibras devem estar presentes em qualquer dieta saudável, possui muita influência na regulação do nosso organismo, sendo uma aliada contra problemas com colesterol, obesidade e diabete e auxiliam para o bom funcionamento intestinal. Algumas mulheres com endometriose tendem a ter o intestino muito preso ou muito solto, as fibras vêm para melhorar esse sintoma.

Para incluir as fibras na dieta, consuma arroz e pães integrais, frutas e legumes com casca, aveia, semente de chia e linhaça, vegetais folhosos.

O consumo de ômega 3 beneficia a produção de prostaglandina PGE, reduzindo o nível de inflamação abdominal, provocada pela endometriose.

Os alimentos para incluir nas refeições e melhorar os níveis de ômega 3 são: salmão, sardinha, cavala, atum, anchova, etc., óleo de coco, semente de chia, semente de linhaça, nozes.

Os alimentos que proporcionam ação antioxidante e anti-inflamatórias também são muito bem-vindos. Eles são: açafrão, azeite de oliva, chá de gengibre, chá de vitex, chá verde, frutas vermelhas, frutas cítricas, linhaça, chia, gergelim, peixes, alho, cebola, curry, castanhas, nozes, amêndoas, vegetais, óleo de coco.

A redução do consumo de certos alimentos também se faz necessário, principalmente os que trazem resposta inflamatória, como leite e derivados, carne vermelha, alimentos gordurosos, açúcares, embutidos, bebidas gasosas, carboidratos simples como a farinha branca. Os embutidos e industrializados devem ser evitados.

 

 

 

Post a Comment

Open chat